Dono não, Tutor sim!

By on junho 16, 2016
Silvia Manducca Trapp

Silvia Manducca Trapp*

   Você sabia que animais não possuem donos, mas sim tutores? A partir da filosofia do século 20, vários conceitos sofreram mudanças, trazendo novos conflitos e, consequentemente, novos questionamentos, inclusive sobre as relações que temos com outros seres. Afinal, somos nós, humanos, o centro de tudo? Somo donos ou proprietários de outras vidas?

   De acordo com o dicionário Aurélio, proprietário é aquele que tem propriedade de alguma coisa, que é senhor de bens. Já a palavra “dono” significa senhor, possuidor, proprietário. “Dono” e “posse” denotam propriedade. Quem tem posse, possui propriedade sobre o objeto possuído. Os termos não apresentam atribuições originais às posições de guarda ou tutela, tutor ou responsáveis de animais.

   Como seres em constante mudança e eterna lapidação, devemos nos perceber como tutores ou guardiões de uma vida, que escolhemos ter ao nosso lado como companhia. Dessa forma, o animal, obviamente, não se trata de um objeto que possuímos e que muitas vezes é explorado para obtenção de lucro como, por exemplo, em sua venda.

   Tutor é aquele que protege e defende. O tutor ou guardião consciente instrui e guia o seu tutelado, educa com amor e promove todas as possibilidades de uma evolução completa em aprendizagem e saúde. O cuidado na terminologia revela uma mudança moral positiva.

   A convivência entre o tutor e o tutelado deve ser construída a fim de proporcionar o desenvolvimento conjunto, como em qualquer outra relação. Porém, cabe ao ser humano (tutor) que escolheu a companhia de um pet (tutelado) proporcionar cuidados e proteção de forma responsável, lembrando que, o livre arbítrio do tutor não lhe confere a posição de proprietário, mas sim de um responsável pelo bem estar do pet ao seu lado. Quanto mais sensatos e atentos sobre a importância de outras vidas, mais seremos conscientes sobre nós mesmos!

*Silvia Manduca Trapp é professora do curso de Medicina Veterinária da Unopar em Londrina, e membra da Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária.

 

Você deve estar conectado para postar um comentário Login

Responder