O setor de beleza cresce e aparece

By on fevereiro 22, 2018
Beleza

País do futebol? Não só. Somos também o país da beleza – assim como China, Estados Unidos e Japão, os únicos mercados à nossa frente nesse segmento, mas não por muito tempo. Com faturamento previsto de R$ 60 bilhões e crescimento estimado de 3% em relação ao ano passado, o ano de 2017 resgatou a força do setor e abriu ótimas perspectivas para 2018. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o Brasil ultrapassará o Japão no ano que vem.

Se alguém ainda duvida dessa paixão nacional, vale lembrar que a Beauty Fair, realizada entre 9 e 12 de setembro, em São Paulo, movimentou mais de R$ 600 milhões. Dos inúmeros produtos que disputam a atenção de consumidores e consumidoras, as opções antienvelhecimento estão entre as mais procuradas. E é impossível falar de rejuvenescimento sem mencionar a Jeunesse, marca do famoso microcreme de efeito antirrugas Instantly Ageless, com duração de 6 a 8 horas.

“Acreditamos na beleza em dois sentidos: inside e outside. Essa abordagem holística da beleza nos faz buscar produtos que tenham em seu DNA tecnologia e inovação para atender pessoas que buscam saúde, bem-estar e se sentir mais jovens por mais tempo”, explica Marcel Szajubok, diretor presidente da empresa no Brasil. Com faturamento global de quase US$ 1,5 bilhão no ano passado, e presente em mais de 140 países, a Jeunesse (juventude, em francês) é uma empresa de vendas diretas fundada em 2009 na Flórida.

Chegou ao Brasil em setembro de 2015, começando a operar, de fato, em abril de 2016. Seu sucesso por aqui – mais de 10 mil novos registros por mês – tem a participação fundamental do PayPal.

Você deve estar conectado para postar um comentário Login

Responder